Planejamento para 2021: como construir o seu

jan 17, 2021  |  por Gustavo Borges

Planejamento sempre foi uma palavra essencial na vida de qualquer pessoa. Em todas as temporadas que tive no meu esporte, a natação, o planejamento era uma prioridade.

Em todo início de temporada, eu me sentava com o meu treinador para ele me explicar e discutir quais seriam as competições, os ciclos de treinamentos e os objetivos que teríamos.

Afinal de contas, não fazia o mínimo sentido falar sobre metas e objetivos, fossem eles quais fossem, sem que o planejamento para alcançá-los estivesse bem claro. Portanto, uma etapa dependia exclusivamente da outra.

Dessa maneira, dentro do planejamento, uma das coisas mais importantes sempre foi a mente aberta para testar e ver possibilidades. Ou seja, precisamos ser objetivos e saber onde queremos chegar. A questão de ter clareza é fundamental, pois sem que tudo esteja muito definido, a coisa fica mais difícil.

Não à toa, depois que o planejamento para a temporada estava pronto, o caminho se transformava em algo mais natural para mim. Pois eu conseguia enxergar claramente o que teria de fazer para alcançar os objetivos que havia traçado.

Alguns pontos que deixam um planejamento sem força:

  • Falta de objetividade.
  • Baixa autoestima do executor.
  • Tentar controlar o incontrolável.
  • Querer que as coisas caiam do céu.

Por outro lado, para que o planejamento dê certo, alguns pontos principais seriam:

  • Autoconfiança.
  • Objetividade e clareza.
  • Foco na construção.
  • Execução.

Em algumas pesquisas informais que fiz, percebi que certas coisas influenciam para dificultar a criação de um bom plano. Por exemplo, saber se estamos exagerando no ponto ou se estamos sendo audaciosos nessa construção.

Outra coisa que impacta são os próximos passos depois de o plano ter sido construído. Aliás, essa atitude seria mais ou menos como sofrer por antecipação. Ou seja, tenho receio de construir, pois vou sofrer na execução.

Rumo ao planejamento, um passo a passo para o início dessa construção

1. Abra a sua mente

Quando for elaborar esse planejamento, imagine que recursos e tempo não são problemas. Tire as limitações e “viaje na maionese”. Dessa maneira, você pode pensar livremente sobre onde quer chegar e como seria se chegasse lá.

2. Palavra-chave

Escreva uma ou duas palavras-chave que seriam seu foco para o ano ou para o período. Assim, use essas palavras para te fortalecer e te inspirar. Pode ser qualquer uma que tenha relação com você e o seu plano que está por vir.

3. Expectativa

Escreva qual seria a sua expectativa para o ano. Em um parágrafo, o que você fará de melhor, onde precisa melhorar, onde colocar o seu foco. Ou seja, faça uma pequena redação com direcionamento para a sua intenção.

4. Frases-meta

Eu gosto de ter uma visão de onde quero chegar e de falar frases para mim mesmo, altas, como se isso já tivesse acontecido. Aprendi isso na Metanoia, com Roberto Tranjan e Silvio Bugelli.

Neste caso, pode ser uma frase que você diga ao fim do plano com o feito tendo sido realizado. Por exemplo: “Fiz atividade física quatro vezes por semana durante o ano inteiro e melhorei a minha forma”.

Após essa etapa, o que temos é a formatação das metas. Dessa maneira, avançamos na mensuração dos objetivos. E, assim, com indicadores e metas, podemos ter uma ideia da direção e de algo específico, o que nos fará completar as ações que colocamos no planejamento.

Tenho um blog específico sobre metas e indicadores, que pode ajudar a concluir este raciocínio acima. Para ter acesso a ele, basta clicar aqui.

Aproveite!

Leia também:
Foco: sempre direcione a sua atenção para onde ela precisa estar

  • Copyright © 2019

  •    •