Metas e indicadores: é a hora de trabalhar isso em você!

jan 17, 2021  |  por Gustavo Borges

Metas e indicadores sempre acompanham um bom planejamento. Quando eu focava nos meus sonhos olímpicos, a meta do índice, do tempo específico e a meta diária de evolução nos treinos sempre estavam presentes.

Os atletas são competitivos e, acredite ou não, são todos loucos. Já provei isso para você. Portanto, ter metas audaciosas e desafiadoras sempre foi algo normal na minha vida e na vida de muitos outros atletas.

O que seria uma boa meta?

Meta, você diria, é uma coisa muito particular. Afinal de contas, cada um tem a sua. Por mais que duas pessoas façam a mesma coisa, tenham os mesmos indicadores, as metas podem ser completamente distintas.

Dessa maneira, talvez, exista aqui uma dificuldade de se traçar a chamada “meta ideal”. Consequentemente, seria uma análise subjetiva. Certo?

Nem tanto. É verdade que metas carregam particularidades, mas existem pontos em comum que as conectam. E dá para afirmar com muita tranquilidade: uma boa meta tem algumas qualidades.

  • Precisa ser audaciosa e desafiadora.
  • Tem de ser realista e alcançável. Mas isso não impede que seja audaciosa.
  • Tem um prazo para execução. Ou seja, começo, meio e fim.

O modelo SMART é um bom caminho para quem precisa colocar à prova as metas. Muita gente se perde ou não tem assertividade em sua construção, porque não consegue medir a evolução. Falta objetividade e algo mensurável no caminho.

O que pode ser medido pode ser melhorado

Peter Drucker, escritor, professor e consultor administrativo austríaco

Esta frase acima dá o tom de que devemos ter indicadores e, além disso, fazer um acompanhamento para evoluir sempre. Portanto, seja para meta pessoal ou profissional, construa seus objetivos para que possam ser medidos e alcançados.

Diferenças entre objetivos, metas e Indicadores

Alguns blogs falam sobre as diferenças entre objetivos, metas e indicadores. Este aqui, do Siteware, é bem interessante, pois deixa claro o que cada um realmente é.

Objetivo: é uma situação que queremos que aconteça.
Meta: é mensurável e mais específica.
Indicador: ajuda a atingir as metas, pois direciona.

Como eu fazia dentro do esporte, o que pode ajudar nessa construção. Por exemplo, dê uma olhada nessa linha de raciocínio: eu queria chegar à Olimpíada (objetivo); o plano tinha volume de treino e esforço (metas); e eu precisaria de alguns pontos para me direcionar a alcançar isso (indicadores).

Alguns exemplos de metas e indicadores do meu esporte

  1. Frequência de treino: dez treinos semanais durante as dez primeiras semanas.
  2. Número de competições preparatórias: seis.
  3. Ingerir um número adequado de calorias diárias: cinco mil calorias – este pode ser ampliado para uma série de metas diárias para ser alcançado, em termos de qualidade da caloria, por exemplo.

Isso funciona para qualquer área: perda de peso, ganho de conhecimento, promoção no trabalho, etc. Sempre que temos um desejo ou um objetivo maior, temos de ter metas e indicadores para acompanhamento.

Veja o meu blog sobre planejamento, pois, ali, falo sobre essa construção. Dessa maneira, temos um planejamento sólido e boas metas a serem atingidas, e só fica faltando a execução e o acompanhamento de tudo.

Aliás, seriam duas as maiores dificuldades depois dos indicadores e das metas decididas.

  1. A primeira seria a execução inicial, começar, mesmo, a colocar em prática.
  2. A segunda vem na sequência: fazer isso acontecer a longo prazo.

E você, qual seria a sua maior dificuldade quando o assunto é metas e indicadores?

  • Copyright © 2019

  •    •